terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Silêncio... palavras


Nem mesmo se eu quisesse
Conseguiria calar as minhas palavras;
Nem mesmo se o mundo
Me impusesse o silêncio,
Eu conseguiria acatar a ordem.
Pô-las-ia numa gaveta escondida
Num armário qualquer da vida.
Mais tarde encontrá-las-iam…
Só aceito o silêncio
Que eu própria crio;
Que eu própria desejo…
O resto quase não existe.
Na efemeridade da vida
Poucas vezes a minha voz se entoou,
Mas muitas vezes as palavras foram escritas.
E basta isso para a minha verdade
Perdurar no tempo.

2 comentários:

  1. Nada como a palavra escrita para se perpetuar no tempo e ser testemunha dos momentos de silêncio.
    Gostei muito
    bjinhos

    ResponderEliminar