sexta-feira, 27 de janeiro de 2017


São os silêncios que me surpreendem e deliciam.
Cansa-me o barulho,
As vozes que nada dizem.
São aqueles silêncios em que os olhares regozijam de tantas palavras
que são ditas, que me cativam, deveras.
Deixo para trás, de forma pensada e consciente, as pessoas que precisam
de usar a voz para que eu as ouça.
No silêncio, não me passam nada.
E as palavras que entoam, afinal, estão cheias de vazio.
Cansa-me o barulho carregado de vazio.
Apraz-me estes silêncios partilhados, e são esses,
apenas esses, que quero levar comigo, daqui em diante.
Mais silêncios surjam, mais seres humanos capazes de os sentir e viver.



© Alexandra Carvalho