terça-feira, 10 de julho de 2012

Mistério


Não consigo sequer ver a rosa,
O jardim tornou-se
Um mistério para os meus olhos.
Não os fechei,
Mas isolei-me das cores
Que fazem a vida.
O belo nem sempre o é,
O feio também não.
A verdade, é que eu vejo
Apenas o que quero ver,
E o resto, fantasio!
As rosas não me chamam
À atenção,
E o jardim,
Continua a ser
Um mistério para os meus olhos.

© Alexandra Carvalho

3 comentários:

  1. Muito bonito!!
    "Não consigo sequer ver a rosa", lindo e com uma potente mensagem

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Os nossos olhos vêem o que ninguém mais vê...
    Magnífico poema, gostei imenso.
    Alexandra, minha querida amiga, desejo-te um bom fim de semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar