sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Hipocrisia

Como sempre, costumo estar atenta ao comportamento das pessoas que me rodeiam, e isso, acaba por me mostrar o melhor e pior de cada ser humano que observo.
Perfeitos não somos, mas podemos ser melhores. Não há necessidade de fazer sorrisos forçados nem conversas sem vontade.
Se existe alguém por quem temos empatia, também existe alguém que nem gostamos, sequer, de encontrar na rua, e somos todos assim, toda a gente vivencia estes sentimentos.
Então, dou comigo a pensar porque para uns existe a vontade e o cinismo de sorrir para quem não lhes diz nada. Não são obrigados a isso.
Acaba por ser melhor descartar simplesmente aquela pessoa e não sermos hipócritas em manter uma relação cordial de fachada. Não me parece correcto nem tão pouco ético, ético no sentido humanitário, social, algo por aí.
Costumo dizer que vivo no meu mundo e só em alguns momentos partilho do mesmo mundo que os restantes mortais. Não é assim tão surreal como possam achar, enquanto estiver entre as quatro paredes do meu pequeno mundo, não tenho de ver nem de sentir a pequenez de carácter de muita gente que por aí anda. Acaba por ser compreensível, opto por uma forma de fuga mas que ao mesmo tempo me trás segurança. Não gosto de estar envolvida em conflitos menores, em causas inexistentes, em problemas que nem são problemas. Quando é para dar a cara então que seja por uma causa real.
Não custa nada reflectir um pouco sobre as nossas atitudes, não vale a pena ir pelo caminho da hipocrisia e do cinismo.
O que interessa é deitarmo-nos à noite e ter a consciência tranquila porque não passamos por cima de ninguém, porque não tivemos o desejo de humilhar pela calada quem esteve perto de nós durante aquele dia.
Vivam a vida de uma forma correcta, sensata e feliz.

© Alexandra Carvalho

2 comentários:

  1. Grande crónica. Já escreveste para algum jornal? Concordo com tudo.

    ResponderEliminar