sexta-feira, 22 de junho de 2012

Unicidade


Enquanto a tua pele
Toca na minha,
Fico deliciada a olhar para ti,
Perco-me no tempo,
Que ali, deixou de existir…
Dois corpos deitados,
Duas almas que se perdem
E se encontram, a cada olhar
Que é trocado…
As palavras calam-se,
As diferenças desvalorizam-se,
No eterno momento,
Em que somos um do outro…
Tudo é efémero,
Mas não aquele momento…
O silêncio arrebata-nos,
E nem é preciso que me fales.
A minha boca não se abre,
A tua também não…
És parte de mim,
Eu sou parte de ti…

© Alexandra Carvalho

6 comentários:

  1. Todos os teus poemas são carregados de emoções, isto mostra o verdadeiro poeta que há em ti.
    Bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  2. Tudo é efêmero, mas não o amor verdadeiro. Lindo texto! Meu beijo.

    ResponderEliminar
  3. Tão bonito e bem descrito este amor!!

    Beijos

    ResponderEliminar