sábado, 29 de novembro de 2014

https://www.facebook.com/JCarvalhoPhotography?fref=ts
Não sei lidar com a morte.
Aproximo-me a cada dia dela,
Ainda assim, não sei lidar com ela.
Não me incomoda a minha.
Mas a dos outros.
De todos. Dos que amo desmedidamente.
Não sei quando vou embora.
Podia ir hoje.
Seria a dor menor, porventura.
Do que a perda.
Não sei lidar com a morte,
Apenas com a minha.


© Alexandra Carvalho

1 comentário:

  1. Nada morre apenas se transforma.
    Muito profundo e belo este poema.
    Beijinhos

    ResponderEliminar